Vídeo do Isea está entre os 10 finalistas de concurso nacional

video-iseaUm vídeo produzido por uma médica do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida – Isea está entre os dez finalistas do concurso cultural “Somos parte do SUS que dá certo”. Na primeira etapa da competição, que é organizada pela Rede HumanizaSUS do Ministério da Saúde, foram inscritos 283 vídeos.

As produções mostram experiências voltadas ao atendimento humanizado. Desse total, apenas trinta passaram para a segunda fase da disputa e foram avaliados por uma comissão, que observou critérios como criatividade e potencial para melhorar o acesso e a qualidade dos serviços na saúde pública.

A comissão escolheu os dez melhores vídeos, que, agora, estão submetidos ao voto popular. Para participar da votação é preciso fazer um cadastro simples no site da Rede HumanizaSUS (redehumanizasus.net). Após efetuar o login, cada usuário poderá votar uma única vez no vídeo de sua escolha, até o dia 20 de dezembro.

No site também é possível encontrar um tutorial sobre como realizar o cadastro e votar no concurso. O trabalho vencedor vai receber uma Menção Honrosa do Ministério da Saúde, por meio da Política Nacional de Humanização.

A produção campinense que está entre os finalistas mostra momentos do trabalho da equipe do projeto de pesquisa e extensão “Humanização da Assistência ao Parto”, que é desenvolvido na maternidade pública do município.

A iniciativa permite que as gestantes tenham assistência integral, tornando o parto mais humanizado e natural para que o nascimento aconteça sem o uso de medicamentos, por exemplo. Diversos profissionais, como psicólogos e fisioterapeutas, médicos e enfermeiros, além de estudantes de medicina, participam de forma voluntária do projeto.

Segundo a coordenadora do projeto e idealizadora do vídeo, a obstetra Melânia Ramos Amorim, a proposta é reconhecer o parto como evento integrativo biopsicossocial e espiritual, e não como ato médico. Ela explicou ainda que o procedimento requer assistência integral e transdisciplinar, respeitando o protagonismo da mulher no parto.

“Todas as práticas seguem as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para a assistência humanizada ao parto, de acordo com as evidências científicas mais recentes. Estamos felizes com o reconhecimento do trabalho, através do concurso”, comemorou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO