Vereadores classificam fim da Favela do Papelão histórica

faveladopapelao5Vereadores que acompanharam, neste fim de semana, o início da retirada dos barracos da Favela do Papelão, ao lado do Ginásio O Meninão, classificaram a ação da Prefeitura de Campina Grande, de garantir moradia digna para aquelas famílias, como um acontecimento histórico na cidade e destacaram a disposição do prefeito Romero Rodrigues de enfrentar e resolver um problema que já se arrastava há anos.

Para o vereador Miguel Rodrigues, foi preciso coragem por parte da administração municipal, que se dispôs a enfrentar o problema. “É uma iniciativa corajosa do prefeito Romero. Essa ocupação existia há anos sem que houvesse coragem para resolver, mas, agora, Romero retira esses moradores de uma favela para moradias dignas, num ambiente saudável, humanizado, com escola, creche e assistência à saúde”, afirmou.

O vereador Cícero Buchada, por sua vez, lembrou que a retirada das famílias da ocupação era um compromisso do prefeito. “Desde que tomou posse, Romero havia garantido que procuraria dar moradia digna a essas pessoas e, agora, esse compromisso está sendo realmente cumprido”, declarou o parlamentar.

Já vereador Marinaldo Cardoso, que integra o Conselho Municipal de Habitação, lembrou que a área que está sendo desocupada servirá para a instalação de um Centro de Iniciação Esportiva. “Campina Grande sai ganhando com a remoção dessas famílias para moradias dignas e o conseqüente uso desse espaço para implantação de uma área de lazer. Uma grande ação do prefeito Romero Rodrigues, porque essas pessoas não podiam continuar ignoradas, vivendo desse jeito, em condições desumanas”, disse.

Também presente à remoção dos barracos, o vereador Hércules Lafite apontou as condições insalubres em que as famílias viviam na ocupação, em contraponto com a nova realidade após deixarem a favela. “Isso é um gesto de coragem, um ato humanitário, retirar as pessoas de um local destes, que não tem as mínimas condições de habitação para um ser humano, vivendo em barracos, sem a mínima infraestrutura, com esgoto correndo a céu aberto”, avaliou o parlamentar.

No total, 123 famílias da ocupação do Meninão foram cadastradas pela Secretaria de Planejamento do Município. Segundo o titular da pasta, Marcio Caniello, 71 famílias já foram transferidas para o residencial Major Veneziano. As demais serão atendidas pelo Aluguel Social, pago pela PMCG, até receberem moradias definitivas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO