“Todo o lixo coletado é depositado no aterro sanitário”, afirma Geraldo Nobre

geraldo_nobreO secretário de Serviços Urbanos da Prefeitura de Campina Grande (Sesuma), Geraldo Nobre, desmentiu nesta sexta-feira, 16, que o antigo lixão do município tenha sido reativado. Nobre afirmou que são inverídicas as notícias veiculadas sobre a retomada daquela área para depósito do lixo coletado na cidade. “Todo o lixo coletado em Campina Grande é depositado no aterro sanitário de Puxinanã. Quem recebe esse lixo é a Ambiental, empresa privada, proprietária do aterro, que pode apresentar documento comprovando que a Prefeitura faz a entrega do lixo no local adequado”, declarou.

Segundo Geraldo Nobre, não existe nenhuma condição da Prefeitura de Campina Grande haver retomado o depósito de lixo no antigo terreno, localizado nas proximidades do Conjunto Mutirão. O local está fechado e foi desativado, por determinação do Ministério Público Federal, desde a gestão anterior. Entretanto, Nobre disse que o terreno onde funcionava o lixão será recuperado. A Prefeitura, atendendo determinação do próprio MPF, já encaminhou à Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema), projeto destinado à recuperação ambiental do antigo terreno, cujo orçamento pode chegar aos R$ 2,5 milhões.

Conforme o procedimento das equipes da Sesuma, o lixo coletado diariamente no município é encaminhado ao aterro sanitário. No local, os caminhões coletores da Prefeitura Municipal são pesados e a empresa faz a emissão, para a Sesuma, de tíquetes, com informações sobre a quantidade de lixo entregue. Esses documentos são entregues ao Departamento de Limpeza Urbana da Sesuma. “Os tíquetes ficam sob a nossa responsabilidade e podem ser vistoriados a qualquer momento. A Sesuma possui todos os documentos comprobatórios da entrega do lixo”, declarou Geraldo Nobre.

Para o aterro sanitário de Puxinanã é encaminhado o lixo oriundo das coletas domiciliares, da varrição, feiras municipais, terrenos baldios e capinação, além do lixo hospitalar. No mesmo local, equipes especializadas fazem o tratamento do material.

Geraldo Nobre disse que o depósito irregular de lixo, feito nas proximidades do Mutirão, é semelhante ao que ocorre em outros terrenos baldios do município. “São ações esporádicas, que podem ocorrer a qualquer momento. Em Campina Grande existem cerca de mil terrenos baldios e, diariamente, é retirado lixo desses terrenos”, explicou.

DENÚNCIAS – O secretário Geraldo Nobre faz um apelo à população para que denuncie ações de irregularidade. Ele ressaltou que a Prefeitura Municipal, por meio da Sesuma, pode autuar e multar os infratores, desde que estes sejam denunciados e identificados. De acordo com o secretário, além da denúncia, é necessário identificar o infrator, por meio de anotações da placa do carro ou de fotografias, até mesmo de aparelhos celulares. Com o número da placa do carro o veículo poderá ser identificado e multado pela Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP), além de o infrator ser notificado e autuado pela Sesuma.

1 comment

  1. Victória Lavinia

    Essa notícia me ajudou muito, pois,eu tenho um trabalho para fazer sobre o tratamento de lixo feito em Campina Grande (onde eu moro).Junto com outras informações que eu consegui,vou fazer meu trabalho de Ciências.

    Victória Lavinia

    Campina Grande-PB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO