Sirano e Sirino empolgam público do Parque do Povo e destacam importância dos grandes nomes da música para o forró tradicional

A noite do segundo sábado do Maior São João do Mundo começou com um grande público dançando ao som de Biliu de Campina que passeou pelo repertório de grandes artistas imortalizados na tradicional música nordestina, entre eles, Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga.

Em seguida foi a vez de Coroné Grilo e Roberto Morais subirem ao palco e cantarem músicas autorais e também de outros cantores. O Arraial da Correio FM, foi sequenciado por Sirano e Sirino que, mais uma vez, tocaram músicas do forró tradicional.

Sirino, da dupla Sirano e Sirino, disse que é muito importante manter a tradicional música nordestina, tocada nos grandes eventos como Maior São João do Mundo. Ele argumentou que cada festa tem a sua característica, por isso o São João não pode deixar de ter o tradicional forró.

“No forró tradicional se toca o xote, o xaxado e o baião, ritmos agradáveis pra se dançar e o que é o forró, senão uma festa pra se dançar? Com a chamada estilização do forró as bandas tocam praticamente a mesma coisa, uma batida só e isso incomoda”, concluiu Sirino.

Sirano disse ainda, que sempre que volta ao Maior São João do Mundo existe aquela expectativa de agradar. O cantor cearense disse que não podem faltar nos shows da dupla músicas como “Amor de Rapariga”, “Tô bebendo, tô pagando”, “Quero uma Cachaça Agora”, “Mulher Ingrata e Fingida” entre outras que consagraram a dupla na música nordestina.

“Dominguinhos, Marinês, Jackson do Pandeiro, Abdias e Luiz Gonzaga, não morreram. Eles nasceram pra vida eterna, serão sempre lembrados e estarão presentes em qualquer parte do Nordeste onde tiver forró. Agora é interessante dizer que é positivo juntar o forró estilizado, com o tradicional e o sertanejo. Todos devem estar unidos porque a música é cultura e é universal”, destacou Sirano.

Fonte: Codecom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO