Secretaria de Saúde anuncia 40 novos leitos para o Isea

Oreuniao_isea Instituo Elpídio de Almeida – Isea vai ganhar quarenta leitos nos próximos sessenta dias. O prazo foi definido após uma audiência realizada na tarde desta quarta-feira, 24, no Ministério Público, para resolver a questões pontuais de superlotação na maternidade pública de Campina Grande. Participaram da discussão a secretária municipal de saúde, Lúcia Derks, diretores do Isea, o promotor da saúde, Luciano Maracajá, e representantes da Clipsi e da FAP.

De acordo com a secretária de saúde, com readequação de alguns espaços administrativos, será possível criar vinte leitos na maternidade. A outra metade dos leitos vai ser ofertada na Casa da Gestante, Bebê e Puerpera, que vai funcionar em um imóvel alugado a poucos metros do Isea. O local está sendo reformado para acolher gestantes e mães de outros municípios que precisam de acompanhamento ou que estão aguardando os filhos saírem da UTI, como também os recém-nascidos que necessitarem de acompanhamento, evitando a ocupação de leitos nas alas da maternidade.

Além da oferta de novos leitos, a secretária informou que outras medidas já vinham sendo tomadas pela Secretaria Municipal de Saúde para otimizar o atendimento no Isea e melhorar o acolhimento às gestantes. “Contratamos quatro cirurgiões pediatras, estamos reativando o laboratório da maternidade, com equipamentos de ponta e vamos implantar nos próximos dias o sistema de classificação de risco, por exemplo. O Isea tem recebido a atenção que aquela casa de partos merece e, sem dúvida, vai dar um salto de qualidade no atendimento”, garantiu.

Escalas de médicos – Durante a audiência a secretária comunicou ao procurador da saúde que realizou uma reunião na semana passada com os diretores da Clipsi e da FAP, hospitais que realizam partos pelo SUS no município, para discutir a situação de superlotação na maternidade nos sábados e domingos. Naquela ocasião, as maternidades alegaram que estavam com dificuldades para fechar a escala de obstetras plantonistas nos fins de semana, mas se comprometeram a resolver o impasse.

No encontro de hoje no Ministério Público, a FAP garantiu ter conseguido fechar a escala dos profissionais e que, desde o último dia 17, o hospital passou a contar com obstetras plantonistas 24horas por dia, voltando a ofertar trinta leitos para complementar o serviço do Isea. No entanto, o diretor da Clipsi afirmou que, mesmo com divulgação expressiva em jornais locais e de outros estados da oferta de vagas para os médicos, ainda não conseguiu contratar obstetras para dar plantão na maternidade nos sábados e domingos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO