Ronaldo Filho vê avanços em discussões sobre segurança na cidade

RCLF-conselhpO presidente do Conselho Municipal de Segurança Comunitária de Campina Grande, o vice-prefeito Ronaldo Cunha Lima Filho, avaliou como bastante positiva a primeira grande reunião do órgão, realizada na manhã desta terça-feira (28), com a participação de autoridades e de representantes da sociedade civil organizada.

Visivelmente entusiasmado e otimista, Ronaldo Filho destacou o envolvimento da sociedade, numa união de forças pela causa. “O nosso sentimento, a partir deste encontro, é de esperança e confiança de que é possível se fazer algo para melhorar a nossa segurança. Se não encontrarmos as devidas soluções, o pouco que fizermos é melhor do que não fazermos nada”, ressaltou o vice-prefeito.

Na reunião, que durou mais de duas horas, foram apresentados relatos de experiências das autoridades da segurança pública e sugestões e preocupações de representantes de instituições diversas, que serão analisadas com mais detalhes, posteriormente, para possíveis encaminhamentos na busca de soluções alternativas.

Para permitir uma análise mais aprofundada, ficou definido que, na próxima reunião, marcada para o dia 11 de fevereiro, será analisado, discutido e votado o Estatuto do Conselho. Também haverá reflexões sobre a metodologia e outros pontos de igual relevância.

Por solicitação de Ronaldo Filho, também já na próxima reunião deverão ser apresentados relatórios das polícias Militar e Civil, que servirão de norte para as ações a serem implementadas. Para o vice-prefeito, os dados dos setores da Segurança Pública representarão o “Marco Zero” deste processo, considerado importante como contribuição no combate à violência na cidade.

Por conta da necessidade de medidas eficazes e do reduzido contingente policial no Estado, o Conselho antecipou-se e aprovou moção, a ser encaminhada ao governador, solicitando a nomeação dos concursados da Polícia Civil, parte deles já devidamente treinada em curso de formação. A urgência na contratação desses servidores justifica-se, ainda, em razão do prazo de validade do concurso, que se expira em junho próximo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO