Romero e secretários reúnem-se com membros do Ministério Público

ROMERO_min_pubO prefeito Romero Rodrigues, acompanhado por seis secretários de governo, visitou na tarde desta quinta-feira, 27, a coordenação do Ministério Público em Campina Grande. A reunião estava agendada antes da votação da Proposta de Emenda Constitucional nº 37, que tinha como foco a limitação do poder de investigação do Ministério Público. Apesar da PEC já ter sido derrubada, a reunião foi mantida, com o objetivo de reafirmar a postura de solidariedade do prefeito ao Ministério Público.

“A nossa ideia é prestar solidariedade ao Ministério Público e nos colocarmos à disposição. A Prefeitura está de portas abertas ao MP, que é o fiscal da lei”, afirmou o prefeito Romero, destacando que em todos os cargos que exerceu ao longo de sua vida pública sempre teve na instituição uma importante aliada. Lembra, por exemplo, que fez questão da participação de um representante da Procuradoria de Justiça da Paraíba na Comissão de Transição, para que houvesse o máximo de transparência e isenção na avaliação dos dados.

O prefeito e os secretários foram recebidos pelo coordenador licenciado das Curadorias, o promotor Betrand Asfóra, e pelos promotores Clístenes Holanda e Dimitri Amorim, que atualmente responde pela Coordenadoria Executiva do Ministério Público em Campina Grande. “A gente recebe com muita alegria a visita do prefeito. A PEC 37 foi rejeitada pela Câmara, acredito que em face da grande mobilização social. A sociedade entendeu que o Ministério Público é peça fundamental na investigação de combate à corrupção. Então, toda mobilização é bem-vinda, o apoio do senhor prefeito e de membros do governo municipal, nós recebemos com muita alegria, até porque temos muito a construir”, considerou Bertrand Asfora.

Para o promotor Bertrand Asfora esse é um momento viável para apresentar outras pautas em favor do Ministério Público. “Acho que temos outros horizontes que nós deveríamos trilhar também. Discutirmos por que temos apenas 2% da receita líquida dos estados para a folha de pessoal do Ministério Público”, levantou a questão. Diante dos recursos financeiros da atualidade, o promotor foi taxativo. “A Paraíba jamais terá promotor em todas as promotorias do Estado”.

Numa avaliação final sobre a derrubada da PEC 37, Bertrand mais uma vez creditou ao povo. “Tudo que hoje possa diminuir a instituição o povo entende como diminuir a garantia dos seus direitos”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO