Rede Cegonha: Casa da Gestante de Campina Grande é a primeira da Paraíba

casa_bebeInaugurada nesta quinta-feira, 26, pelo prefeito Romero Rodrigues, a Casa da Gestante, Bebê e Puérpera Dr. Flaviano Xavier Guedes vai beneficiar usuários de dezenas de municípios paraibanos que precisam utilizar os serviços do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida – Isea. São mulheres e recém-nascidos que tiveram pré-alta, mas que não podem voltar às suas cidades de origem ou que necessitam de acompanhamento em saúde próximo a uma maternidade alta complexidade. No local, as mães também poderão ficar hospedadas enquanto aguardam os bebês que estão internados na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal – UTNI. A Casa da Gestante de Campina Grande é a primeira em funcionamento na Paraíba que segue os padrões da Rede Cegonha.

Com a mesma estrutura de uma residência normal, a proposta da unidade é humanizar o atendimento na maternidade pública campinense. A unidade possui vinte leitos, divididos em sete dormitórios com banheiros, cozinha, copa, sala de estar, além de ambientes para realização de terapias. Antes de ser inaugurada, a Casa da Gestante recebeu a visita de técnicos do Ministério da Saúde, que aprovaram as instalações. “O que pudemos observar foi uma casa que não se restringe a quartos com camas, mas realmente uma proposta invocadora de acolhimento e humanização”, afirmou a apoiadora institucional da Rede Cegonha, Flávia Vila Chan.

Com a inauguração da Casa da Gestante, o município passará a receber R$60 mil mensais para custeio da unidade. Segundo a secretária municipal de saúde, Lúcia Derks, para poder receber o incentivo, a Casa precisa ser habilitada pelo Governo Federal. “Inicialmente, todo o custeio será feito com recursos próprios, mas já iniciamos o processo de habilitação, que deve ser concluído ainda este ano. O incentivo vai custear as despesas de funcionamento e dos profissionais de saúde que vão atuar na Casa da Gestante”, garantiu.

A Casa da Gestante funciona numa residência alugada, nas proximidades do Isea, mas o objetivo da Secretaria Municipal de Saúde é construir uma unidade própria dentro do Isea, que também ganhou, esta semana, uma nova enfermaria, com capacidade para doze leitos. O objetivo da prefeitura é ampliar ainda mais o número de leitos na maternidade para otimizar o atendimento. Outras ações, como a implantação do acolhimento com classificação de risco, também estão sendo realizadas para beneficiar os usuários do serviço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO