Profissionais de saúde participam de capacitação sobre pré-natal

cap_prenatalDesde a implantação do Projeto Bem-Me-Quer, que estabelece o Plano de Assistência Obstetrícia e Neonatal de Campina Grande, no início do ano passado, a Secretaria Municipal de Saúde vem desenvolvendo diversas ações para reduzir a mortalidade materna e neonatal no município. Uma das principais estratégias do plano está no processo de educação continuada dos profissionais de saúde. Neste mês de março, as atividades de formação dos trabalhadores foram iniciadas nesta quarta-feira, 12, no auditório do Centro de Tecnologia e Educação – CTE.

Pela manhã, cerca de 150 servidores, entre médicos, dentistas, enfermeiros e assistentes sociais da Atenção Básica, participaram de uma roda de conversa com a obstetra Melânia Amorim sobre pré-natal de risco habitual. “Nesse tipo de gestação, a qualidade do acompanhamento das equipes de saúde torna-se determinante para o sucesso da gestação e não a quantidade de ultrassonografias realizadas, por exemplo”, explicou a médica.

Os participantes também puderam conhecer como está organizada a rede serviços de assistência e as melhorias que vêm sendo implantadas para humanizar os atendimentos no pré-natal. Um exemplo desses avanços foram as alterações feitas no cartão de saúde da gestante. O documento traz novas informações como o acompanhamento das consultas odontológicas durante a gestação e a participação das gestantes em ações de educação em saúde.

De acordo com a diretora de Atenção à Saúde, Giovanna Cordeiro, aproximadamente 1.500 gestantes estão sendo acompanhadas nas Unidades Básicas de Saúde – UBS, atualmente. Ela explicou ainda que, agora, a gestante é referenciada para a maternidade mais próxima de sua residência já na primeira consulta. “Isso significa que, mesmo fazendo todo o pré-natal na unidade básica, a gestante será informada em qual maternidade dará à luz e ainda poderá fazer uma visita prévia ao serviço para conhecer a equipe e as condições de atendimento no local”, garantiu.

A diretora assegurou também que, com a implantação do teste rápido de HIV e sífilis nas UBS do município este ano, será possível diagnosticar e prevenir precocemente a transmissão destas doenças da mãe para o bebê. “Este conjunto de ações importantes na Atenção Básica voltadas para as gestantes estão ajudando reduzir os índices de mortalidade neonatal, além de contribuir para desafogar os atendimentos na rede hospitalar”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO