Por ordem de Romero, PMCG estuda solução para ambulantes da área central

reuniao_ambulantesPor determinação do prefeito Romero Rodrigues, auxiliares da administração municipal e técnicos da Prefeitura de Campina Grande estão estudando alternativas para os ambulantes que comercializavam seus produtos em várias ruas centrais e que estão impedidos de continuar ocupando os espaços por determinação judicial.

A proibição do comércio nas vias públicas do centro da cidade partiu do juiz Carlos Antonio Sarmento, da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Campina Grande, em atendimento a Ação Civil Pública oriunda do Ministério Público. A determinação deu-se em respeito ao Código de Postura do Município, considerando que este tipo de ocupação, de forma irregular e desordenada, compromete a segurança dos pedestres, além de gerar danos ao patrimônio, inclusive à estética urbana e ao meio ambiente e à saúde do consumidor.

Em atendimento à orientação do prefeito, auxiliares da administração estiveram reunidos no final da tarde desta terça-feira, 11, no Palácio do Bispo, para buscar uma solução que possa fazer cumprir a ordem judicial e atender à necessidade dos comerciantes.

Após uma ampla discussão, com base em sugestões apresentadas, foi instituída uma comissão formada por representantes dos comerciantes, que, acompanhada de técnicos da Prefeitura, visitará áreas próximas à Feira Central, para, em caráter provisório, continuar as suas atividades. Uma das alternativas apresentadas é na Rua Cristóvão Colombo, trecho entre a Avenida Floriano Peixoto e Rua deputado José Tavares, contudo, a definição dependerá de estudos sobre a viabilidade.

“Sensível à situação dos camelôs, o prefeito determinou buscar alternativas, a princípio em caráter de urgência, considerando que a maioria trabalha com produtos perecíveis”, afirmou o coordenador de Comunicação, José Araújo do Nascimento. Segundo ele, a princípio será adotada medida paliativa, tendo em vista que o prefeito já determinou à Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente e a de Planejamento estudos visando à construção de espaços para este tipo de atividade.

Segundo Araújo, a orientação do prefeito é encontrar uma solução, preferencialmente em caráter definitivo, que venha satisfazer a todos, respeitando a determinação judicial e possibilitando aos comerciantes manter as suas famílias condignamente.

Participaram da reunião o secretário de Serviços Urbanos e Meio Ambiente, Geraldo Nobre; o coordenador de Comunicação, José Araújo do Nascimento; o presidente da Agência Municipal de Desenvolvimento Econômico (Amde), Alcindor Vilarim, além do presidente da Associação Comercial e Empresarial, Álvaro Barros; o presidente da CDL, Tito Motta; e o coronel Souza Neto, comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO