PMCG quer evitar despejo de até 70% das famílias que invadiram casas

andre-AgraInvadido desde junho de 2012, o Loteamento Pedro Gondim, no bairro das Cidades, em Campina Grande, foi ocupado irregularmente por mais de 300 famílias. A determinação da Justiça é para a desocupação de todas as 367 unidades habitacionais, mas a Prefeitura de Campina Grande, por determinação do prefeito Romero Rodrigues, está buscando fazer uma desocupação humanizada, com a perspectiva de manter no conjunto as famílias devidamente cadastradas e que atendam ao perfil socioeconômico exigido.

O Secretário de Obras do Município, André Agra, recebeu no Gabinete do Prefeito, nesta terça-feira, 14, cerca de 50 famílias que já desocuparam o conjunto. Ao final da reunião, o secretário assegurou que a partir desta quarta-feira, 15, às 8h, uma equipe formada por técnicos do Fome Zero, da Secretaria de Obras, funcionários da Defesa Civil e da Guarda Municipal irá iniciar uma nova vistoria em cada uma das casas, para confirmar o diagnóstico das famílias que apresentam o perfil adequado para receber o benefício da casa própria.

“Vai sair quem comprou casa, quem vendeu, quem tem renda incompatível, quem já tem imóvel e quem invadiu já em março deste ano. Quanto aos demais, vamos pedir a Justiça para que permaneçam. A nossa estimativa é de que até 70% das famílias permaneçam no loteamento”, informou o secretário André Agra.

A petição para permanência nas casas deve ser feita pela Procuradoria do Município na próxima sexta-feira,17, após o novo levantamento do perfil das famílias ocupantes dos imóveis. De acordo com André Agra, aqueles que não puderem permanecer no Loteamento Pedro Gondim, por incompatibilidade de perfil, poderão ser cadastrados para o Conjunto Major Veneziano, podendo de imediato ser incluídos no aluguel social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO