PMCG apresenta anteprojeto de revitalização da Feira Central

feira_centralDentro da proposta de elaborar, de forma democrática e participativa, o projeto de revitalização da Feira Central, a Prefeitura Municipal de Campina Grande (PMCG), através da Secretaria de Planejamento (Seplan), apresenta, na próxima terça-feira (02/07), o anteprojeto arquitetônico de requalificação desse importante patrimônio histórico da cidade. O anteprojeto foi elaborado pela equipe técnica de arquitetos, engenheiros, designers e estagiários da Seplan, a partir das diretrizes apresentadas na Oficina de Projeto Participativo, realizada, dentro do Mercado Central, no início do mês de junho.

A apresentação vai acontecer durante uma plenária que vai ser realizada, das 9h às 12h, no auditório da Secretaria de Cultura (Secult), localizada no antigo Museu de Artes Assis Chateaubriand, vizinho ao terminal de integração. Feirantes, representantes de várias secretarias e autarquias municipais, da Universidade Federal de Campina Grande, de outros órgãos e segmentos da sociedade campinense participarão dessa que é a 4ª plenária dentro do calendário de discussões sobre o projeto de revitalização da Feira.

O Secretário de Planejamento, Márcio Caniello, falou sobre o processo de elaboração do projeto de revitalização. “Um projeto dessa envergadura é extremamente complexo, pois envolve um dos maiores e mais queridos patrimônios do povo de Campina Grande, que é ao mesmo tempo um espaço de negócios que garante o ganha-pão de milhares de famílias. Assim, tudo tem que ser discutido democraticamente, envolvendo os interessados direta ou indiretamente, para que as soluções técnicas e projetuais atendam às exigências dos órgãos reguladores, aos preceitos da sustentabilidade e às reais necessidades de comerciantes, consumidores e da população em geral”, explicou.

A obra de revitalização da Feira Central está prevista para ser iniciada tão logo o projeto executivo fique pronto e seja licitado, o que deverá ocorrer até o final de 2013.  Serão investidos R$ 19,5 milhões, sendo que R$ 18,4 milhões são oriundos do Ministério das Cidades e R$ 1,1 milhão compõem a contrapartida da prefeitura.  A revitalização compreende todo o espaço físico do mercado, ruas do entorno, e os prédios tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO