Indignada, diretora desmente vereador presidente do Sintab

Maria_Lourdes_diretoraA professora Maria de Lourdes dos Santos, diretora da Escola Municipal Nenzinha Cunha Lima, do bairro do José Pinheiro, esteve na Câmara de Vereadores na manhã desta quinta-feira, 24, ocupando a chamada “Tribuna Livre” do poder legislativo, para desmentir as denúncias formuladas esta semana pelo vereador Napoleão Maracajá, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema (Sintab), que afirmou que a merenda servida na escola seria transportada em um caminhão utilizado para conduzir animais.

Acompanhada de outros funcionários do educandário, Maria de Lourdes disse lamentar a postura, classificada por ela como “infeliz”, do vereador e sindicalista, e afirmou que as acusações de Maracajá atentam contra a dignidade dos que fazem a direção da Escola Nenzinha Cunha Lima, já que os recursos da merenda no Município são administrados pelos gestores escolares.

“Eu sou honrada em minha vida privada e em meu múnus público trabalho com respeito e quero respeito daqueles que têm o dever de cobrar algo de mim. Não será o seu discurso equivocado que manchará a minha imagem e nem a daqueles a quem eu represento”, declarou a professora Maria de Lourdes, dirigindo-se ao vereador.

A diretora avaliou as denúncias do parlamentar como “graves e inverídicas” e garantiu que as imagens exibidas por Napoleão não são da Escola Nenzinha Cunha Lima. Maria de Lourdes lembrou que uma comissão de Secretaria de Educação visitou a escola, no exato momento em que um dos fornecedores realizava a entrega da merenda, em veículo apropriado.

Por fim, a gestora escolar afirmou que encontra-se disponível para apresentar qualquer documentação necessária para comprovar a idoneidade no trato com a merenda escolar, desde a aquisição dos gêneros alimentícios. “Colocamos os arquivos, com documentos da escola, à disposição de todos os que se interessarem, com as cópias das licitações que já realizamos este ano para a aquisição da merenda escolar, que é transportada de modo correto e digno”, completou.

Pouco antes do pronunciamento da diretora Maria de Lourdes dos Santos, o vereador Napoleão Maracajá se retirou do plenário, retornando apenas alguns minutos após o fim da “Tribuna Livre”. A indignação da gestora e dos funcionários da Escola Nenzinha Cunha Lima era ainda maior porque, como lembrou a diretora, o vereador preside o sindicato que representa os servidores, ou seja, para tentar atingir o governo municipal, Maracajá atacou a própria categoria que o Sintab representa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO