Feirantes elogiam decisão da PMCG de discutir reforma do Mercado Central

feiraCom grande participação dos feirantes, a Prefeitura Municipal de Campina Grande (PMCG) encerrou, no domingo (02), a Oficina de Projeto Participativo que discutiu propostas a serem consideradas na formatação do projeto executivo de revitalização da feira central. O evento foi promovido pela Secretaria de Planejamento (Seplan), com apoio da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), e aconteceu dentro do mercado central.

Depois de três dias de debates, foram estabelecidos pontos centrais que terão atenção especial no projeto. Os pontos são os seguintes: segurança, higiene, mobilidade e assistência social; feira de galinhas; antigo cassino Eldorado; largo do Pau do Meio; mercado público; feira de flores e artesanato; espaço para manifestações culturais; polo gastronômico; estacionamentos; Rua Deputado José Tavares e configuração das barracas; vestuário e calçados; feira como patrimônio cultural e selo verde para o espaço.

Participaram das discussões comerciantes, técnicos da Seplan, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep) e acadêmicos das universidades Federais de Campina Grande, da Paraíba e de Pernambuco. O objetivo final da revitalização é melhorar as condições econômicas da feira, além de transformá-la em um centro de cultura e em um lugar atrativo para o turismo.

Para o secretário de Planejamento Márcio Caniello, a Oficina de Projeto Participativo foi um sucesso e o caráter democrático do evento foi o destaque. “Esse não é o ponto de chegada, mas o ponto de partida. Ainda vamos conversar muito com os comerciantes para que cheguemos a mais consensos e façamos um projeto que beneficie a todos”, explicou Caniello.

A partir de agora, várias plenárias e audiências públicas serão realizadas com o objetivo de intensificar ainda mais o contato com os feirantes, que se mostraram muito entusiasmados com a iniciativa da prefeitura. É o caso de Genésio Assis Formiga, 61, que trabalha no local há cerca de 30 anos. “São os feirantes que sabem o que é melhor para a feira e a prefeitura reconhecer isso é muito importante”, avaliou o comerciante.

A obra de revitalização está prevista para ser iniciada tão logo o projeto executivo fique pronto e seja licitado, o que deverá ocorrer até o final de 2013.  Serão investidos R$ 19,5 milhões, sendo R$ 18,4 milhões oriundos do Ministério das Cidades e R$ 1,1 milhão como contrapartida da prefeitura.  A revitalização compreende todo o espaço físico do mercado, ruas do entorno e os prédios tombados pelo Iphaep.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO