Empresas comparecem à Comissão para construção de casas

Duas empresas do setor da construção civil compareceram nesta segunda-feira, 30, à Comissão de Chamamento Público da Prefeitura de Campina Grande para apresentação da documentação que comprova a habilitação e capacidade técnica para construção de quatro mil novas casas que serão construídas no bairro do Ligeiro para pessoas com renda familiar mensal de até três salários mínimos.

A abertura das propostas nesta data havia sido anunciada pelo prefeito municipal, Romero Rodrigues, no último dia 02 de dezembro, ocasião em que o chefe do executivo, acompanhado do ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, anunciou a construção das unidades em parte do terreno desapropriado pela atual gestão, às margens da BR 104, em frente ao Parque de Exposições do Ligeiro.

Segundo o secretário municipal de Administração, Paulo Roberto Diniz, nesta primeira fase a Comissão de Chamamento Público fará uma análise da documentação apresentada, verificando se existe o cumprimento de todas as exigências colocadas pela Prefeitura de Campina Grande e Governo Federal.

Na segunda fase será analisada a proposta técnica da empresa, verificando se a concorrente está habilitada para execução do serviço proposto, se dispõe da estrutura necessária para execução do contrato em itens como de equipamentos, técnico, mão de obra qualificada, econômica e de aporte financeiro.

O resultado dessa etapa do Chamamento Público será conhecido na primeira quinzena de janeiro próximo e publicado no Diário Oficial. Haverá prazo para recursos e a perspectiva é de que as obras sejam iniciadas entre os meses de fevereiro e março do próximo ano. A construção das quatro mil casas será numa área de 127 hectares, destinada para esse novo conjunto habitacional, que estão inseridos em um terreno de quase 900 hectares, adquirido neste ano, pela atual administração municipal.

Esse novo conjunto habitacional será o maior da cidade, com quatro mil novos imóveis, que beneficiarão cerca de 16 mil pessoas com renda de até R$ 1,6 mil. Segundo o prefeito Romero Rodrigues, esse avanço contribuirá para reduzir o déficit habitacional de Campina Grande.

O conjunto habitacional representará o primeiro bairro sustentável do município, com uma infraestrutura composta por escolas, creches, unidades do Programa de Saúde da Família (PSF) e Centros de Referência de Assistência Social (Cras). As moradias estarão localizadas em uma área dotada com rede de esgotos, abastecimento de água, gás natural e energia elétrica, além de próxima a importantes equipamentos, a exemplo do Aeroporto Presidente João Suassuna e do Terminal Rodoviário.

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO