Cultura cicloviária é tema de Fórum de Mobilidade Sustentável

Convite_F_mob_sustentavelA implantação de ciclovias e de paraciclos dentro das cidades visa incentivar e auxiliar as políticas sustentáveis de transporte, seja por estimularem a atividade física, o pedalar, seja por não agredirem o meio ambiente. Outro fator muito importante é o da inclusão social da população de baixo poder aquisitivo, uma vez que a melhoria da mobilidade e da acessibilidade representa um gasto menor com o transporte, caso típico da cidade de Campina Grande, onde existe um grande número de trabalhadores que utilizam a bicicleta como meio de transporte até seu trabalho.

E pela necessidade de se discutir a cultura cicloviária, criando bases para a implantação de novo modelo de mobilidade urbana, o COMUTP – Conselho Municipal de Transporte Público – está propondo a  implantação de um fórum de debates permanente sobre mobilidade sustentável por bicicleta, às 17hs desta quinta-feira, 31, no auditório da Vila do Artesão.

A concepção do Fórum tem por objetivo a formação de um grupo técnico, seja por parte da sociedade civil, bem como do poder público, para discutir sobre o desenvolvimento de educação cicloviária, que paralelo às condições estruturais da cidade se torna indispensável para um processo contínuo de educação da comunidade para que todas as partes envolvidas atendam aos seus deveres, contribuindo num processo de circulação organizado e seguro, para uma cidade com melhor qualidade de vida.

Programação: 

16:30 – Credenciamento

17:00 – Abertura

17:15 – Palestra  “Mobilidade Sustentável”

            Aída Pontes – Assessora Técnica da SEMOB – João Pessoa

17:45 – Mesa redonda

19:00 – Formação do grupo técnico

19:30 – Encerramento e coffe-break

A palestrante: Aida Pontes é arquiteta e urbanista, tem mestrado em Engenharia Urbana, e é doutoranda em Planejamento Urbano pela Universidade de Eindhoven, na Holanda. Pessoense, começou a usar a bicicleta como meio de transporte em 1999 quando ainda era aluna de graduação na UFPB – ia de casa para a Universidade em duas rodas. Essa escolha direcionou toda a sua carreira profissional, desenvolvendo uma proposta cicloviável para a cidade em seu trabalho de conclusão de curso, ainda em 2004.

No mestrado, em 2007, com base nas experiências recolhidas em visitas a vários países e a diversas cidades brasileiras, fez um plano de interligação de bicicleta e trem como meios de transporte em João Pessoa. No ano seguinte, ganhou o primeiro lugar no concurso nacional de monografias da CBTU brasileira com esse mesmo projeto. Entre 2007 e 2008 trabalhou como urbanista da capital paraibana até ir para a Holanda, em 2009, para cursar doutorado. Desde o início do ano está de volta ao Brasil e integrando a equipe da Semob em João Pessoa onde trabalha como assessora técnica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

TOPO