Cidade receberá R$ 1,4 milhão para investimentos em políticas de inclusão

O coordenador de Juventude da Secretaria de Esporte, Juventude e Lazer (Sejel) da Prefeitura Municipal de Campina Grande, Luiz Arthur Tuta Cabral, foi informado na manhã desta terça-feira, 12, que o Município, através do programa “Juventude Viva”, foi contemplado dentro do Projeto de Esporte e Lazer na Cidade (PELC), com um projeto que vai atingir dez núcleos na cidade, sendo sete na área urbana e três nos distritos.

A iniciativa do Governo Federal, em parceria com o Município de Campina Grande, vai investir em 2014 cerca de R$ 1,4 milhão, contemplando uma população de quatro mil pessoas que vivem em situação considerada de vulnerabilidade.

O programa “Juventude Viva” é destinado a 132 municípios brasileiros, que reúnem mais de 70% de casos de homicídios contra jovens. Campina Grande faz parte deste lamentável ranking, ocupando, segundo o DATASUS, a 26ª colocação, conforme dados de 2010.

Tuta Cabral destacou que este projeto, que abrange sete ministérios, vem para, em parceria com o Município, através de várias secretarias, determinadas prefeito Romero Rodrigues, desenvolver ações que visam reverter tal situação.

Segundo Tuta, as políticas na área da cultura, saúde, educação, trabalho e emprego, esportes, desenvolvimento social e combate à fome, promoção e igualdade social, além dos direitos humanos, se apresentam como alternativas para tirar o jovem negro da vulnerabilidade.

O coordenador de Juventude de Campina Grande informou, ainda, que tudo está acontecendo devido ao empenho do prefeito Romero Rodrigues e do secretário de Esporte da cidade, Gustavo Ribeiro, que, ao serem informados sobre o “Juventude Viva” e também sobre o PELC, não mediram esforços para incluir o município nos programas.

“Falei para Gustavo Ribeiro sobre a importância de Campina Grande participar do PELC. Daí por diante, elaboramos um projeto que foi encaminhado ao Ministério do Esporte, tivemos nosso projeto aprovado e já no próximo ano estes recursos serão liberados, para que possamos fazer uma política de apoio às pessoas que estão em situação de risco,” concluiu Tuta Cabral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO