Após TAC, Edson Diniz será parcialmente reaberto na próxima segunda

incendio_edson_diniz Durante a tarde desta quinta-feira (13), no Ipsem, membros do poder público municipal, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Ministério Público e comerciantes do Shopping Edson Diniz participaram de uma reunião na qual foram discutidos os últimos acertos para possibilitar a reabertura do espaço comercial, ainda de forma parcial, na próxima segunda-feira (17).

Na ocasião, houve a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta a ser obedecido pelos comerciantes durante o período de recuperação e reforma do centro comercial. Na manhã desta sexta-feira (14), será realizada uma vistoria, que buscará identificar os pontos mais críticos do local e realizar a retirada de cargas, ou seja, lâmpadas, ventiladores e gambiarras que sobrecarregam o sistema elétrico.

A partir desta avaliação, ocorrerá uma nova vistoria com o Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Secretaria de Obras da PMCG, com o intuito de constatar o cumprimento das normas de segurança definidas através do Termo de Ajustamento de Conduta. Consequentemente, os comerciantes que seguirem as normas de segurança serão autorizados a ocupar suas lojas.

incendio_edson_diniz1Para o secretário de Obras da PMCG, André Agra, está havendo todo o empenho do Município para não apenas abrir o Shopping Edson Diniz, mas, também, realizar uma reforma estruturante no local, solucionando problemas graves de estrutura e sistema elétrico. “Vamos abrir parcialmente o Edson Diniz, com intervenções paliativas e paralelas, até começarmos as ações estruturais na parte elétrica, hidráulica e a de combate e prevenção a incêndios”, disse.

Com relação ao cronograma de conclusão das obras, o secretário estipulou inicialmente um prazo de noventa dias, pois, segundo ele, haverá uma reforma mais ampla, não apenas reparos. “Foi uma determinação do prefeito Romero Rodrigues uma reforma mais ampla, que implicará, se possível, no aumento do espaço físico, possibilitando o bem-estar daqueles que comercializam e dos consumidores”, afirmou.

“No entanto, após a entrega do prédio, as condições de funcionalidade serão mais rígidas, não em excesso, mas para que as normas sejam cumpridas, pois, anteriormente, todos esses quesitos de segurança, de normas e estatutos estavam sendo descumpridos”, finalizou André Agra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO